segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Queriam ver se acontecia? Taí!


O deputado Sargento Amauri Soares (PDT) quase não falou hoje. Procurou se afastar do primeiro contato com a mídia, numa estratégia de provocar o aparecimento de outras lideranças no movimento e tirar o foco da sua figura.
A mobilização da Aprasc – Associação dos Praças de SC (policiais militares não oficiais) e suas esposas cumpriram uma promessa que o governador LHS e o secretário Benedet não acreditavam acontecer. Os principais batalhões da Grande Florianópolis e muitos do Estado estão paralisados, tomados pelos manifestantes. Há o que se chama de “aquartelamento”, os soldados não saem dos quartéis.
Este estado perigoso e de alto risco para a segurança da comunidade vai permanecer até que o Governo do Estado se digne a conversar seriamente com as lideranças dos Praças. Digo seriamente por que na última sexta, a reunião com o secretário da Segurança foi em vão, não deu em nada. Hoje, o secretário Gavazzoni fez outra, mas foi como a de sexta, nada de concreto, só conversa.
O que os Praças querem é bem simples, que o Governo cumpra a Lei 254, que foi aprovada pela base de apoio deste mesmo Governo. Não acredito que os deputados, naquela época da aprovação, tenham sido tão irresponsáveis que os devidos pagamentos não possam nem ser negociados.
O deputado Soares faz uma pausa da sua estratégia e vai conceder uma entrevista, logo mais, às 22 horas, para Jornal da Noite/Rádio Guarujá. Por telefone, ele já me adiantou alguma coisa: “Vamos varar a noite nos batalhões e seguir assim até que o governo resolva conversar sobre o nosso pleito”.

Um comentário:

adriano disse...

nao acreditaram ta ai acontecendo agora...... o governo tem dinheiro para dar presente para seus filhos ou passar um bom fim de ano, enquanto nos pracas nao temos nem dinheiro e nem sequer poderemos passar um bom fim de ano.
so estamos pedindo para cumprir uma lei nao e isso que a policia faz

CONTATO COM O BLOGUEIRO