quinta-feira, 25 de março de 2010

O circo e os “tucanos-de-pirata”: onde deixaram o "cifragol"?!

Um circo. Foi no que se transformou o ato na Assembléia Legislativa na troca de Luiz Henrique da Silveira – que renunciou – por Leonel Pavan – que responderá processo federal no Supremo.
A Sala de Imprensa do Legislativo foi invadida por pessoas estranhas ao local. Além de jornalistas e autoridades – local próprio apenas para estes – estavam ali um batalhão de policiais militares (sabe lá se civis também), um cordão enorme de puxa-sacos e comissionados que deveriam estar trabalhando e não ali, sem esquecer dos infiltrados, que passam por jornalistas com lap top de baixo do braço.
Pra não deixar dúvidas do circo, teve até claque ensaiada para aplaudir Pavan e não faltou assessor para “soprar” ao agora efetivo os assuntos e as frases certas na bizarra e tumultuada coletiva. Acabaram inventando um novo tipo de “papagaio-de-pirata”, o “tucano-de-pirata”. É mole?!
Esse pessoal não tome jeito mesmo. Onde deixaram o "cifragol"?!

quarta-feira, 24 de março de 2010

As impressões de Ideli

O prefeito Dário Berger não tem a mesma empatia que tem o doutor Eduardo Pinho Moreira com a senadora petista Ideli Salvatti. No dia do seu aniversário, no último dia 20, a senadora recebeu ligações de Eduardo e também do governador Luiz Henrique da Silveira. Dário não o fez. Não tem esta intimidade política. Caso venha a ganhar as prévias no PMDB, o prefeito terá que superar esta dificuldade para atingir seus objetivos.
No primeiro turno, tudo indica mesmo, cada partido ficará no seu quadrado. Medirão forças e no segundo turno a história ficará zerada. Muita gente que não se suporta estará dividindo o mesmo palanque.
A senadora sonha com apoios de PMDB e do PP no segundo turno. Acha que esta coligação, que já existente no Governo Lula, pode ser repetida no Estado. Ela lembra que em Joinville, PMDB, PT e PP viabilizaram uma vitória eleitoral e convivem fraternalmente.
A Dona Angela tem aquele jeitão, germânico, de poucas palavras. Mas com Esperidião houve até a troca de umas figurinhas nos últimos dias com o PT catarinense.
São algumas impressões captadas na entrevista, ontem, no Jornal da Noite/Guarujá, com a senadora Ideli.
Confira um compacto dos momentos mais interessantes.

video

Tudo Comunica bombando

Tenho recebido muitas mensagem entusiasmadas sobre o quadro "Tudo Comunica", com Emilio Cerri, no Jornal da Noite, pela Guarujá, de segunda à sexta, entre 10 e meia noite.
É um papo bem humorado, cheio de informações e causos sobre o marketing, a publicidade e o mundo das comunicações em geral. O Emílio é um craque, sabe do riscado.
Quem quiser dar uma "olhada" nos que já foram ao ar, eles são publicados diariamente no site Comgurus.
Estão ali as nossas conversas, incluindo os jingles do passado, de boas lembranças.

Frases do Joelmir

Nunca se teve um crédito tão aquecido na economia brasileira. Só as pessoas físicas deste País devem ao sistema financeiro cerca de 600 bilhões de reais. São financiamentos de carros, imóveis e outros sonhos de consumo. E não estamos nada perto do fim do mundo por causa disso.
Neste planeta de consumo hedonista, “consumo, logo existo”. E “quem não deve, não tem”. Duas frases do mestre Joelmir Betting.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Emílio e boas histórias no JN

O Emílio Cerri - que é um amigo e colega muito querido (não confundir com o Vinícius Lummertz - que é outro boa praça) vai abrir um espaço na sua agenda para nós no Jornal da Noite, de segunda à sexta, pela Guarujá. Serão alguns minutos de um papo descontraído sobre os mercados do marketing, da publicidade e da comunicação em geral. Estréia hoje, a partir das 10 da noite. Quem gosta de boas histórias do meio não pode perder.
Como a conversa é de improviso não sei se o Emílio vai contar uma que ele já me adiantou. A campanha do cigarro Veado. Isso mesmo, Veado! Foi na década de 40, se não me engano. O Emílio tem até o jingle. Acho que ele vem com esta logo mais. Eu não vou perder!
No sábado passado o recebi em casa. Foram algumas horas de boas conversas e risadas. Teve até momentos de emoção. Fazia muito tempo que não nos víamos. Nem conseguimos botar toda conversa em dia. Outras virão, no ar ou não.
O Emílio gravou uma entrevista. Fiquei feliz em falar-lhe. É um mestre. Confesso que me senti deslocado. Ele é que deveria ser o entrevistado. Ele é o mestre. Quem quiser dar uma escutada, o papo está postado no Caros Ouvintes, sob o título "Papo de Rádio".

domingo, 14 de março de 2010

Dário/Ideli: - olha a União de novo aí, gente...!

O deputado estadual Edison Andrino afirma que Dário vai perder as prévias para o Doutor Eduardo. Ele chegou muito tarde para ser candidato, comenta Andrino, que ainda conta que na reunião com a bancada estadual na Assembléia, o prefeito ouviu em tom bem claro que não tem o apoio dos deputados. Não é bem assim. Clima tão adverso é mais um desejo de Andrino do que uma realidade. Entrevistei o deputado Moacir Sopelsa no Jornal da Noite de sexta última. Ele não entende que Dário tenha chegado tão tarde assim. O homem é forte, tem avais importantes na Casa D'Agronômica.
Há quem aposte contra a certeza de Andrino nas prévias. Dário pode vencer Eduardo Pinho sem prévias. Como na política cabe tudo, não me surpreenderia numa indicação celestial de Dário. E mais, tudo anunciado com Ideli ao seu lado, de vice ou vice-versa. Como manda Newton na sua 3ª Lei, uma reação a isto seria o renascimento da "União por Santa Catarina", algo que tiraria o sono de LHS até o último voto contado.
Apostas abertas.

"Prévias" não estavam no combinado

O deputado federal Paulo Bornhausen (DEM/SC) não conseguiu esconder o contratempo das prévias do PMDB, um complicador de consequências inimagináveis para a manutenção da "polialiança" sonhada pelo governador Luiz Henrique. "Prévias" não estavam no que foi acordado, disparou o democrata. Mas minimizou: "política é isso mesmo".
Se anda muito cuidadoso nas declarações para o pleito no Estado, está afiado contra o governo Lula no debate nacional. O "controle social" da mídia, preconizado pelos petistas - maneira elegante de defender a censura - vai ser bem explorada pela oposição. Bornhausen lembra as origens de Serra - democráticas, de esquerda, de grande luta contra a ditadura militar - para atacar a síndrome petista de autoritarismo. No entanto, é inegável que um discurso tão alinhado contra o regime de exceção sempre irá requerer uma explicação correlata para amenizar as contradições com um passado histórico do PFL - hoje Democratas, advindo da Arena e do PDS. Nada, também, que não caiba numa boa tese das críticas e auto-críticas.
Na política cabe tudo. O deputado tem razão, a política é isso mesmo.
COMPACTO DA ENTREVISTA COM PAULO BORNHAUSEN - 12/03/2010:
video

Epílogo: assaltaram a casa!

Esperei uns segundos pra me acalmar. Acho que posso escrever agora. Devo!
Acabaram de assaltar a casa de uma família no Condomínio Maria do Mar! Como era esperado!
Os posts anteriores contam a história de uns 40 minutos. Atendi, agora, na porta da minha casa, o pobre do vigia, assustado, nervoso, impotente, e me disse que fizeram uma "limpa" na casa e saíram como se fossem uma visita.
Agora chegou a PM. Estão lá, fazendo não sei o que!
Liguei de volta para o 190 para agradecer a atenção. Fui desaforado na linha. Disse para o coitado do atendente, que temos uma Polícia de merda! Um exagero, com certeza.
Na verdade, temos governos de merda, que estão de costas para a população, fazendo de conta que são sérios. Mas nós, não somos lá grande coisa, também. Elegemos essa gente, a cada dois anos, como se nós e eles fôssemos sérios. Somos uma tragédia! Lamentáveis!
Que merda!!

E até agora nada

Agora um outro sujeito suspeito passa em frente a minha janela, na rua. Ele veste uma bermuda, sem camisa, tênis, uns 30 anos, talvez. Numa mão um saco de supermercado com duas ou três latinhas - um pretenso catador..., na outra um pedaço de pau. Caminha devagar. Observa tudo. Ele agora está indo em direção ao vigia que continua no portão do Condomínio, sozinho, aguardando a PM e segurando com os olhos os dois suspeitos lá dentro.
Já tem uns 30 minutos da minha primeira chamada para o Copom. Nada até agora.

Nada, ainda, de Polícia

Agora já sabemos que não é um suspeito, mas dois. Nada de Polícia até agora. Liguei mais uma vez para o Copom. Uma voz feminina me atendeu. Ela foi um pouco mais receptiva, mas não foi muito convincente. Me disse que iria entrar em contato com uma viatura mais próxima. Os caras continuam lá dentro.

O "call center" do Copom

Definitivamente, não foi nada estimulante o atendimento do Copom (Central de Operações da Polícia Militar), agora pouco. O vigia do Condomínio Maria do Mar me pediu para que chamasse a PM, já que seu celular estava sem créditos. Um sujeito suspeito estava circulando dentro do condomínio, numa atitude “pré-assalto” digamos. Me pediu urgência, estava bem nervoso o funcionário. Então fui rápido e liguei no 190. O atendente não me pareceu um militar. Tive a nítida impressão que falava com um desses call center's ineficientes de operadoras de telefonia.
Treinado para dizer aquelas palavrinhas corretas, mostrou uma calma irritante diante da minha pressa. Perguntou quase tudo, calmamente, e insistiu por uma descrição do suspeito, que eu não tinha, evidentemente. Lhe disse várias vezes da urgência, mas o atendente não se sensibilizou e permaneceu com um ar de quem estava num monastério budista, embriagado de serotonina. Sua frase final foi essa: “...Eu gerei a sua ocorrência e tão logo for possível vamos fazer o atendimento.”
Bem, isso já faz uns bons 20 minutos. Deu tempo até de vir aqui escrever tudo isso no Blog. Pela janela vejo o vigia andando pra lá e pra cá, o suspeito lá dentro e nem sinal de uma viatura policial. A propósito, perto daqui, há uns 500 metros, tem um posto policial. Mas a gente não tem acesso ao telefone direto deles. Na verdade, não sei se há alguém por lá neste momento.
Dou notícias sobre esta ocorrência... Vamos ver o que dá.

sábado, 13 de março de 2010

As temperaturas de Colombo, Ideli e Angela

Um pouco atrasadas, é verdade, mas estão aqui as entrevistas com os senadores do Estado, Raimundo Colombo (DEM) e Ideli Salvatti (PT) e com a deputada federal Angela Amim (PP).
Foram feitas nos dois primeiros dias de volta ao ar do Jornal da Noite, pela Guarujá.
São três nomes bem cotados em pré-candidaturas. Entendo ser um registro interessante para comparação de idéias. Pode-se medir a temperatura das eleições e tirar algumas dúvidas sobre as intenções de cada na atual conjuntura.
As entrevistas foram editadas, são compactos dos melhores momentos na opinião do blogueiro.

ENTREVISTA COM COLOMBO - 01/03/2010:
video

ENTREVISTA COM IDELI - 01/02/2010:

video

ENTREVISTA COM ANGELA - 02/03/2010:
video

quinta-feira, 11 de março de 2010

Uma letra pra bom entendedor

João Frederico H. Leite disse...
Marcelo sei que este assunto não tem nada com a brilhante reportagem, mas so para ouvir tua opinião, la vai: o caso que esta acontecendo no nosso FIGUEIRA, é parecido com o caso das LETRAS em SC não? Interessante não o Roubo é identico.
João Frederico H. Leite
Urussanga - SC

Ô Leite, estás querendo me fazer falar, né?! Olha que eu abro o verbo... Não pergunta muito que eu respondo... Entre nós: deves saber mais do que eu...
Mas pra não te deixar sem uma análise, posto um vídeo do "Velho Guerreiro". Nos anos 70, o Chacrinha era um mestre para explicar um monte de coisas inexplicáveis. Pesquisei bem o vídeo e acho que ficou de bom tamanho pra tal assunto.

Rio? Sei lá, tão aí a Nuria e o David procê!

"Anônimo disse...
Ei, Marcelo... cadê o single da Núria? Ela canta muito mesmo. Parabéns pelo blog e por dar espaço ao que há de bom no Rio. Abraços."

Então tá, "Anônimo", vou te mandar o link da Nuria Pucci - o MySpace dela. Tem vários singles dela. Demais, como te falei.
De quebra, te mando o MySpace do David Scheidt, meu filho, um guitarrista bluseiro, que saiu daqui (Brasil) e anda "aterrorizando" os brothers (EUA) com uma "bossa-nova-jazz-blues-funk-samba-...", ufa!!!..., sei lá mais o quê! Olha o que ele fez com o "Singer In The Rain, do Sinatra.
Um abração e bons sons.
Em Tempo: só não entendi o papo de "espaço ao que há de bom no Rio". De qualquer jeito, gostei. Manda ver. Um abração, velho.

quarta-feira, 3 de março de 2010

Dário não quer ser vice, mas...

- Olha, não é o meu sonho, mas é uma possibilidade.
Assim reagiu o prefeito da Capital Dário Berger na rápida entrevista por telefone, depois da coletiva de hoje, quando lhe provoquei sobre a viabilidade de ser o candidato a vice-governador tendo o senador Raimundo Colombo na cabeça da “polialiança”.
O prefeito tirou o pé do acelerador. Foi comedido, ao contrário do que muitos esperavam. O dedo do governador pesou. Dário foi claro quando disse que a “recomendação de Luiz Henrique é de que se faça todo o esforço possível para manter a tríplice aliança, e é o que eu estou fazendo neste momento. No entanto, Dário não insiste na idéia das prévias marcadas para o dia 27 de março. É um recado, de tom ousado, de quem quer marcar posição e mostrar firmeza e coragem.
Dário mostra que está jogando xadrez, fazendo movimentos à distância, deixando que seus oponentes (dentro da sigla) produzam a marola que ele precisa para sair lá frente fortalecido.
Olhando este tabuleiro, diria que o prefeito sabe que não tem muitas opções. Ficar onde está pode ser a pior. Ser vice agora no sacrifício, para ser cabeça de chapa na próxima. Pode ser por aí. Mas é verdade que os retrospectos dos "vices" no Estado não são animadores. Paulo Bauer, Eduardo Pinho e Leonel Pavan que o digam. Rasteiras também fazem parte deste jogo.
Talvez por isso Dário tenha encerrado a entrevista com um pé atrás.
- Se renunciar a Prefeitura, só pra ser candidato a governador.
Ouça a íntegra da entrevista na Guarujá hoje à tarde.


A ansiedade de Dário na coletiva

A atenta assessoria de imprensa do prefeito Dário Berger estava ligando agora pouco para as redações e "orientado" os jornalistas para perguntarem sobre "questões políticas". Daqui há pouco o prefeito-candidato (será?!) começa uma entrevista coletiva. Ele está chegando do exterior. Há uma grande expectativa de que ele anuncie sua renúncia à Prefeitura para se engajar numa campanha majoritária. Sua posição nesta majoritária é que é a grande dúvida.
A "orientação" da assessoria é óbvia, claro, mas mostra a ansiedade que Dário vive para falar do assunto. Vamos ver logo mais. Vou postar aqui um pouco do que dirá o prefeito.

terça-feira, 2 de março de 2010

“Guitas” na oficina

Eu juro que isto vai virar uma guitarra. Fender! Uma réplica é claro.
Explico: resolvi nas férias de fevereiro construir uma Fender Stratocaster, parecida com a do Eric Clapton. Os primeiros passos foram os cortes na madeira, uma peça de cerejeira que guardo há mais de 30 anos e sei que já tem uns 50, pelos menos. Desenho inicial feito parei nos equipamentos eletrônicos da “guita”.
Mas aí tive o help do filho, David Scheitt, músico, guitarrista, “bluseiro”, que mora na Califórnia, terra de boas jam sessions. O outro filho, o Careca, que mora aqui e que foi lá visitá-lo, acaba de chegar na Ilha, trazendo na bolsa de fora da mala o que estava faltando. O David viabilizou o projeto. Em semanas, dependendo do tempo de lazer, vamos inaugurá-la dentro de um bom case que ficará decorando o ambiente da sala. Para isso, vamos brindar com os amigos, ao som de uns blues do David, tomando um "18 anos", talvez, com muito gelo.
Já que não posso dizer como Caetano, “como é bom tocar um instrumento...”, fico a construí-los na oficina. A primeira, de brinquedo, cenográfico, apenas. O segundo passo virá logo, uma que toque. No dedilhado do David.
Bem, 2010 é ano de promessas, promessas. Esta é a minha. “Guitas” na oficina. Melhor assim.

segunda-feira, 1 de março de 2010

Reestréia hoje do Jornal da Noite!

O Jornal da Noite de hoje (reestréia -programa era apresentado em 2008) já está no forno.
Vou entrevistar o senador Raimundo Colombo (DEM) e a senadora Ideli Salvatti (PT) ambos candidatíssimos ao governo do Estado nas eleições deste ano. Na pauta, ainda, uma entrevista com a direção da Fiesc. Os empresários estão criticando a proposta de redução de jornada de trabalho que está em discussão avançada no Congresso Nacional.
Além disso, o JN de logo mais (10 da noite), na Rádio Guarujá AM 1.420 kHz (ou no www.radioguaruja.com.br) traz a síntese das notícias do dia, comentários de política e economia, de Alexandre Garcia e Ricardo Amorim (cronistas da Rede Eldorado) e a participação da equipe de reportagem da Guarujá, Eldorado e agencias de notícias pelo Estado, País e Mundo.
Conto com sua audiência e participação pela Sala de Conversas do Site e aqui no Blog.

CONTATO COM O BLOGUEIRO