sexta-feira, 10 de abril de 2009

Judicialização como estratégia

Um atento analista da cena política catarinense me fez dia desses uma observação interessante sobre a estratégia dos asseclas da família Amim contra seus adversários. Teoriza que quando não estão no poder, fazem uma oposição não no campo da política, nos embates de idéias, mas judicializam todas as questões, possíveis e imagináveis, e ganham fôlego durante meses e anos, valendo-se das longas tramitações e das vias recursais dos processos na Justiça.
Segundo entende, foi assim com os governadores Pedro Ivo Campos e com Paulo Afonso Vieira. Este último, chegando à beira do impeachment. No caso de Luiz Henrique da Silveira, avalia o analista, a motivação do processo que corre no Supremo é ingênua, trivial e até constrangedora do ponto de vista jurídico e acredita num escore fácil na votação, de 7 a 0.
No entanto, reconhece que a ação incomoda, causa danos políticos e chega até tirar do sério o atual governador. Por onde anda, sempre está dando explicações, inclusive nas esferas internacionais, por onde LHS tem andado. Alguns grandes negócios na área do turismo, por exemplo, vivem um momento de apreensão.

4 comentários:

Amilton Alexandre disse...

Marcelo

Com esse teu texto fajuto, mostras bem a quem estás prestando serviço camufladamente.

Com certeza, não houve
conversa com analista político nenhum. Esse é o teu pensamento claro e acabado.

Queres justificar teu apoio aos quadrilheiros Dário e Luiz Henrique?

Não precisa ser tão sutíl.

Quem conhece o que escreves mostra bem o profissional engajado que és.

Desde os tempos da RBS. Sempre tens um bom patrão. Mesmo sendo ele um criminoso.

Queres afrontar a Justiça. afrontar aos cidadãoe que a procuram?

Amilton Alexandre

Marcelo Fernandes Corrêa disse...

vai te tratar, mosquito.

Sergio Rubim disse...

Oh Marcelo! Também acho que 'justicializar" qualquer tipo dependenga política acaba banalizando a justiça e a luta"política". Agora, como jornalista, sair em defesa do Paulo Afonso ( sei que és fiel seguidor)aí é forçação de barra. Corrupto de marca maior só nào superou seu pai, Doin Vieira (escândalo do INPS, lembram?) porque não teve competência. As provas e evidências estão registradas para a história. ou estás naquela do Maluf de que nada é verdade, prova não é prova...?

Marcelo Fernandes Corrêa disse...

Parece que o pessoal ficou nervoso com a abordagem feita aqui no blog sobre as figurinhas carimbadas na nossa política. Por mais provocado que seja, não tenho nenhuma intenção de dizer quem é o "observador da cena política" que originou o post. Não tenho nenhum compromisso com suas convicções. Apenas as achei interessante o racioncínio. Quem quiser confundir as coisas, que confunda.
Pra não deixar ninguém mais alvoroçado, adianto que continuo a dizer o que penso, desgostando ou não a patrulha de sempre.
"teiquerise"...
Meu velho Canga, saiba que "meus (nossos) heróis morreram de overdose...", o que me obriga a ser um fiel seguidor do que já se foi, infelizmente. Bem sabes disso.
Um abraço.

CONTATO COM O BLOGUEIRO