quinta-feira, 17 de setembro de 2009

- Tu...tu...tu...tu..., a Ideli desligou. Foi coincidência. Foi?!

Ontem entrevistei a senadora Ideli no Conexão da Tarde, na Rádio Guarujá. Lhe indaguei sobre as denúncias da Folha de São Paulo, na semana passada, sobre os cursos que fez no exterior junto com assessores, com gastos de R$ 70 mil. Ela repetiu a defesa que já havia feito em outros veículos, dizendo que o processo foi todo dentro do que permite a lei e não vê mal nenhum que um senador e seus colaboradores se aprimorem para trabalhar melhor nas funções públicas.

Sinceramente, também acho que não nada de errado nisso, exceto a falta de divulgação destas viagens, na época, o que esvaziaria o que veio em forma de denúncia. Uma notícia velha e banal jamais ganharia a tonalidade. Um barulho, produto de uma falha de comunicação social.

A senadora defendeu a necessidade dos cursos e adiantou que aconselharia seus colegas a faze-los. Aliás, Ideli, comentou que diversos colegas de Congresso de Santa Catarina, também fazem viagens internacionais para estes fins e usam verbas da Casa. Ela só não contou quais foram os colegas. De certo não quis revelar por alguma razão.

Posto o episódio, imagino que nenhum parlamentar catarinense tenha feito viagem semelhante ou pretenda fazer. Caso contrário, é de se presumir que igual exploração do fato poderá vir à baila durante o processo eleitoral e neste debate quem vai assistir de poltrona para fazer sua avaliação derradeira é o eleitor.

Quem ouviu a entrevista sabe que a senadora desligou o telefone no ar, antes da conclusão da entrevista, exatamente no momento em que lhe indagava sobre a má vontade do ministro da Integração, Geddel Vieira Lima, com os assuntos de Santa Catarina, na liberação de recursos - no caso do Porto de Itajaí - e, agora, quando a tesoura anda afiada nos cortes do orçamento. Ideli pediu licença para encerrar a ligação, já que o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, estava lhe chamando para uma audiência em seu gabinete. Pediu desculpas, até.

Quero acreditar que foi apenas uma coincidência a senadora ter desligado o telefone no momento em que tentava saber a opinião da Líder do Governo sobre os humores do ministro Geddel.

Iria postar ontem este episódio, mas não foi possível. Faço agora. Acho que ainda em tempo para tirar as dúvidas de quem acompanhava a Guarujá. Foi mesmo uma coincidência. Ou não?!...

Tire suas dúvidas no replay.

2 comentários:

soraia disse...

Marcelo é a Ideli la e o PPP aqui
no nosso FIGUEIRA, é o bixo pegar
e eles saltarem fora. É incrivel
como falta recurso a essas pessoas
quando são devidamente questiona-
das sobre assuntos importantes.

João Frederico H. Leite
Urussanga SC

Helio disse...

Ué... Está tão claro.
Lógico que foi coincidência.
Ô Marcelo, você acha que uma parlamentar deste naipe iria desligar o telefone propositadamente, logo quando poderia explicar uma banalidade dessa?
Claro que não!
Inclusive, acho que ela está tentando te encontrar para continuar a entrevista, para esclarecer o que já está tão claro.
O problema é essa patuléia (nós), que nos recusamos a entender essas coisas tão banais, que podem ser feitas com a res publica.
Ô raça, que não quer nem deixar nossos representantes estudarem.
Cáspite.

CONTATO COM O BLOGUEIRO